segunda-feira, 12 de abril de 2010

-- Desapego --


"Nada em mim foi covarde, nem mesmo as desistências: desistir, ainda que não pareça, foi meu grande gesto de coragem. 
Então, sem laços, vamos voltar pra estrada...."
(Caio F. Abreu) 

NOTA: Wiedersehen, Meine gesicht sie nicht mehr werden sehen. =)

3 comentários:

  1. Bianca, Renato e Alice ;]12 de abril de 2010 15:19

    Caramba.. nao sabia q vc era trilingue!!! :p

    ResponderExcluir
  2. Bianca, Renato e Alice s212 de abril de 2010 20:37

    Acabei de ver o video.. bem legal!!!

    "Desapego não é desinteresse, indiferença ou fuga. Não devemos nos tornar indiferentes aos problemas da vida. Não devemos fugir da vida; não se pode fugir dela quando somos sinceros. A vida e seus problemas devem ser encarados e lidados de frente, mas não são coisas às quais devamos nos apegar. É verdade que o dinheiro tem sua importância, mas a pessoa que se apega a ele torna-se avarenta e escrava do dinheiro. É muito fácil nos apegarmos à nossa beleza, às nossas aptidões ou às nossas posses, e assim nos sentirmos superiores aos outros. É igualmente fácil nos apegarmos à nossa feiúra, à nossa falta de aptidões ou à nossa pobreza, e assim nos sentirmos inferiores aos outros. O apego às condições favoráveis leva à avidez e ao falso otimismo, enquanto que o apego às condições desfavoráveis leva ao ressentimento e ao pessimismo. Sem dúvida, nosso apego às coisas, condições, sentimentos e idéias é muito mais problemático do que imaginamos.
    O desapego é um dos mais importantes ensinamentos budistas. Na verdade, a vida de iluminação é o caminho do desapego. Muitos dos problemas da vida são causados pelo apego. Ficamos com raiva, preocupados, tornamo-nos ávidos, fazemos queixas infundadas e temos todos os tipos de complexos. Todas estas causas de infelicidade, tensão, teimosia e tristeza são devidas ao apego.
    A vida é mutável; todas as coisas são mutáveis; todas as condições são mutáveis. Por isso, “deixe ir” as coisas. Todos os abusos, a raiva, a censura – deixe que venham e que se vão. Tudo o que fazemos, devemos fazer com sinceridade, com honestidade e com todas as nossas forças; e uma vez feito, feito está. Não nos apeguemos a ele. Muitas pessoas se apegam ao passado ou ao futuro, negligenciando o importante presente. Devemos viver o melhor “agora”, com plena responsabilidade."

    Achei q complementa.. o q acha???

    Nota: estou escrevendo cada vez melhor hein kkkk

    Bjooooo ;]

    ResponderExcluir
  3. hahauhauha muito bom... mas nesse caso é apego a alguém q já não lhe faz tão bem... o foco era esse... mas eu entendo vc falar sobre vida pra sua prima suicida. =) Ficou muito bommm!!!! Mesmo!

    ResponderExcluir

Related Posts with Thumbnails